#falaQueEuTeLeio

“O rock pra mim é como se fosse outro mundo”. Tá ai a vibração e a vontade passada pelo baixista da Banda MUL, Marcola, na entrevista dessa semana para o #falaQueEuTeLeio. Hiperativo e empolgado, Marcola não deixa nenhum som da Fresno passar em branco: “Uma das melhores bandas nacionais de rock com letras com causas universais”, enfatiza o recém-adulto com 18 anos. Fã de Racionais, Underoath e Lady Gaga, frequenta todos os ambientes possíveis dentro da vida social, sem se importar com rótulos. Adepto de mulheres magras, “puro osso”, como o próprio rotula, Marcola além de baixista, ainda toca guitarra e arrisca alguns acordes no piano. Faz e ouve piadas sem graça, rindo de todas; soma placa de carros, sempre errando o resultado; só anda nas partes “brancas” das calçadas alvi-negras. Viciado em Internet e nas calças justas, o músico sonha grande e deseja um legião de fãs, cantando e dançando os hit’s de sua banda, a MUL. Não cabe a mim, e sim a vocês, analisarem se ele é realmente um Menino Ultra Lindo

 1. Como é o seu mundo do rock?

Acho que posso compará-lo a uma escada com vários degraus, que dia após dia, vou tentar subir devagar, um por um, com o que escrevo pra músicas da minha banda, com que faço com um violão/baixo, com o que tento produzir, para que um dia possa subir tanto que chegue em um nível das bandas que hoje em dia me inspiram e me motivam, fazer sempre mais e sem desistir.

2. O que é o rock pra você

O rock pra mim é como se fosse outro mundo. O mundo dos shows nos melhores e piores lugares, com casa cheia ou casa vazia. É estar em estúdio e ensaiar com a sua banda, é deixar de ir a uma aula da escola para tocar e viajar horas de trem com instrumentos nas costas sem reclamar. É também sentir na pele a energia da galera, gritando e cantando suas musicas, ou as que você toca de outros artistas, é querer viver do palco e não ser insensível a música.

3. Como o rock surgiu na sua vida?

Com os meus DVD’s antigos, quando eu tinha uns 12 anos. Tinha amigos no meu antigo prédio, que me deram um DVD do Guns N’ Roses, falando que era “Mmsica boa”. Fui crescendo e ouvindo Guns, e fui conhecendo outras bandas, e sempre que ia em Bares, em Shows, ficava me imaginando no palco, e pensando “Se eles podem estar ai num show lotado, tocando, porque eu não posso ?” E essa pergunta veio até meus 16 anos quando decidi tomar uma atitude e aprender a tocar guitarra, na intenção de entrar numa banda do colégio, e infelizmente, essa banda não existe mais, mas eu continuo treinando e aprendendo até hoje, mas tocando um outro e apaixonante instrumento, o baixo.

4. Fale um pouco da sua Banda MUL

A Banda MUL entrou na minha vida, como um “truque do destino”. Minha outra banda, a Trezze, tinha acabado de acabar, e poucos dias depois, li no nick do MSN do Guilherme Chacon “Procuramos um Baixista”. Senti que aquela hora, pois não queria deixar de ter uma banda. Era a oportunidade de conhecer outros 4 fiéis amigos, e já me convidei para o ensaio da banda, para tomar a vaga de baixista. Cheguei, vi o single da banda, “Maça Verde” e fiquei meio assustado, mas a energia da banda foi tão boa, que a parada foi rolando, muita coisa foi acontecendo, tudo muito rápido. Comecei a gostar do ideal da banda, que eram musicas diferentes e me apaixonei (risos) pelo ritmo da banda e hoje tenho meus melhores amigos.

5. Qual o sentimento em cima do palco? Sempre há o “friozinho na barriga antes do show?

Definitivamente é a melhor coisa pra mim. É sensacional a energia que a galera me passa e a que posso passar pro público, faz com que haja uma troca de “vibes” que me deixam com uma sensação animal. E sempre rola esse friozinho, mais do que quando você vai na montanha russa mais alta, pela primeira vez (risos). Mas depois da primeira música, você enxerga a reação positiva do pessoal cantando, tudo passa e você se solta. Pra mim, estar no palco é me sentir vivo.

6. Como era o Marco há 5 anos atrás, como é hoje e como vai ser daqui 5 anos?

Há cinco anos, era um cara que não sabia muito que queria da vida, pensava mais no presente, e nada de futuro e ainda tava conhecendo o mundo da música. O Marco daqui a cinco anos, não posso dizer com certeza, mas será um cara que saberá o que quer, tatuado, e trabalhando no que gosta, e se DEUS quiser, com musica, com banda ! Pelo menos é isso que eu vou correr atrás pros próximos 5 anos

7. Você usa bastante a Internet para a divulgação da banda? Como funciona isso?

Uso sim. Acho que a internet hoje em dia é o maior canal de divulgação, tanto de banda, como de qualquer outra coisa. A MUL usa muito os sites de relacionamento, para expandir pra fora de Mogi das Cruzes, pro Brasil talvez (risos). Acho que através, das comunidades do Orkut, do Twitter, fica muito mais acessível para as pessoas ouvirem a nossa banda e assim podem indicar para outro amigo e ir passando de um para o outro até que uma hora todo mundo já vai ter ouvido falar. É bem legal isso

8. Existe um lugar que você mais queira tocar?

Agora, eu só quero tocar, em qualquer lugar, onde a galera esteja pirando com a banda. Mas toda pessoa que seinspira em outras bandas, e vê aqueles “ídolos” no DVD,, no clipe, naqueles shows gigantes, agente acaba tendo aqueles “SONHOS”. Queria muito um dia tocar no Planeta Atlantida, Hangar110, Mix Festival, ABC PRO HC; e têm mais alguns, mas ai iria ocupar a resposta inteira (risos)

9. É bom ser do mundo do rock?

É maravilhoso. É se sentir vivo, sentir o frio na barriga em todo show, é ter varias surpresas, criar amizades gigantes, estando na estrada, aprendendo com as as intimidades de cada um, e também é diversão. Vale muito à pena. Tem também toda a correria de ser independente, mas teremos , um dia, muita historia pra contar. Todo mundo passa por isso e me conforta em saber que todas as bandas grandes de hoje em dia passaram por isso. É REALMENTE DEMAIS. (risos)

10. Como é ser um Menino Ultra Lindo?

É ser diferente, engraçado e humilde. A base de tudo na vida, eu acho que é a humildade, e ser um “Menino Ultra Lindo”, precisar ser muito esforçado e humilde sempre, isso é fundamental. Mas não é tão difícil ser um dos “MULZETOS” e “MULZETES” só precisa acompanhar agente nos shows e estar depois do show, farreando com agente.

ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=285182862700354614

           http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=87538681

TWITTER: http://twitter.com/bandamul

               http://twitter.com/marcolamul

FOTOLOG: www.fotolog.com/bandamul

PUREVOLUME: www.purevolume.com/bandamul

Anúncios

~ por Pedro A. Chavedar em 05/02/2010.

2 Respostas to “#falaQueEuTeLeio”

  1. Gosto de ver como o Marco enxerga as coisas. Sucesso pra MUL!!! =)

  2. Fotos lindas. E com certeza vão ter mais e mais sempre! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: